Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

No one likes a f*cking prick...

01.06.12publicado por Gato Pardo

À medida que os anos vão passando, há pequenas parcelas do nosso ser que vamos aprimorando. Há arestas que são limadas, não porque isso nos seja imposto mas porque todos nós tentamos ser o melhor ser humano possível e sentirmo-nos bem na nossa pele.

Lutamos as nossas batalhas, umas ganhas, outras perdidas. Saramos as nossas feridas, umas mais profundas e outras superficiais. E crescemos com isso...

Existem inúmeras características no ser humano que me causam sarna. Um ligeiro eczema. Mas há uma que ocupa o pódio de longe.

Não tolero a falsa vitimização. Os caga tacos deste mundo que manipulam aqueles que gravitam em seu redor para que sejam eles a lutar as suas batalhas. Os pobres coitados que erguem autênticas barreiras humanas em seu redor porque sabem ser mais fácil ser os outros a lidar com os danos colaterais do que eles mesmos.

Hoje tive um dejá vu. E também uma crise de soluços. Não sei qual deles o mais grave, porque o dejá vu foi verdadeiramente m*rdoso mas é sobre ele que vou dissertar um pouco.

Anos atrás vi uma peça de teatro ser montada perante os meus olhos. Actores de gabarito inquestionável, dezenas de figurantes e um enorme pano de veludo vermelho que tudo tapava. Os figurantes alimentavam a peça sem questionarem para gáudio dos actores principais. Mas como qualquer peça que se preze, só vale a pena representar quando há público sedento de mais. O pano caiu. O palco desabou. As luzes fundiram. E tanto o público como os figurantes perceberam o quanto foram enganados.

Hoje senti a mesma sensação.

Um teatro relativamente amador foi montado perante os meus olhos. É pena. Não pago bilhete para ver o circo a pegar fogo. O tempo encarrega-se de apagar as labaredas. E quando estiver em fase de rescaldo, eu passo por lá para acender um cigarro em honra da estupidez humana.

Nunca se deve subestimar um gato com bagagem, mau feitio e com conhecimento aprofundado do jogo idiota que é a manipulação humana. O facto de conhecer bem o jogo não significa que faça uso dele. Apenas sinto pena pelos que se deixam embrenhar em teias que não são deles.